Sistema de Submissão de Resumos, I Encontro de Iniciação Científica - 2011 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
Comparação entre Modelos de Mobilidade do Mundo Real e Mundos Virtuais
Carlos Kamienski, Carolina Silva

Última alteração: 2011-09-09

Resumo


Introdução: Compreender a mobilidade de grupo de indivíduos se torna importante tendo em vista o quão complexo se tornou seu comportamento e, ao se descobrir padrões em sua mobilidade, é possível aplicar para diferentes áreas de interesse. O estudo em ambientes virtuais é um artifício tendo em vista a facilidade e precisão para coletar dados em comparação ao mundo real. Um dos ambientes virtuais estudados é o Second Life, muitas vezes escolhidos por possuir muitos usuários e ser um programa que possibilita pesquisas dentro dele.
Objetivos: O objetivo desse projeto é observar as tendências de mobilidades dos avatares em ambientes virtuais e assim convergir seus movimentos com distribuições de probabilidades. Ao se confirmar um padrão, há a possibilidade de utilizar esse modelo para assim aplicar em problemas do mundo real de forma mais rápida e eficiente.
Metodologia: Foram utilizados dados já coletados de um outro trabalho que tinha capturado avatares dentro de regiões do Second Life a partir de uma implementação em C# utilizando um usuário cadastrado. A partir de recursos da ferramenta R foram realizados testes de aderência - como o Kolmogorov Smirnov - e gerados diferentes gráficos, como histogramas. As regiões analisadas para a taxa de chegada e o tempo de permanência foram: Brasil, Dance Island, Ibiza, Lisbon Inter Prise, Moose Beach e Sexy Islands. Já para a distância percorrida pelo avatar, foram utilizados dados das regiões: Wild, Búzios, Itália, Moose Beach, Spain e Moritz.
Resultado: Parte do resultado foi satisfatória ao analisar que é possível modelar os dados em distribuição de probabilidade como o tempo de permanência que segue uma distribuição de probabilidade Log-normal. Não foi possível obter uma distribuição para a taxa de chegada de avatares nas regiões e também para a distância percorrida, mas observaram-se semelhanças nos histogramas gerados na ferramenta R mostrando que esse tipo de dados poderá ser modelado em outros estudos.
Conclusão: A análise estatística dos dados de permanência e movimentação de avatares do Second Life usando ferramentas estatísticas foi adequada e foi possível modelar  algumas características, como tempo de permanência, usando a distribuição Log-normal, o que abre caminho para estudos mais aprofundados nessa área.