Sistema de Submissão de Resumos, I Encontro de Iniciação Científica - 2011 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
Levantamento Florístico no Parque Regional da Criança Palhaço Estremelique e no Parque Antonio Pezzolo (Chácara Pignatari), Município de Santo André
Deise Alves Vitorino, Andréa Onofre Araujo

Última alteração: 2011-09-11

Resumo


O Parque Regional da Criança Palhaço Estremelique (PRCPE) e o Parque Regional Prefeito Antonio Pezzolo (PRPAP) possuem uma área aproximada de 32 mil m2 cada um e estão situados no município de Santo André, estado de São Paulo. A região é altamente urbanizada e esses Parques podem ser considerados fragmentos de área verde com ação considerável do efeito de borda. O objetivo do estudo foi fazer o levantamento florístico dos Parques (PRCPE e PRPAP) com o intuito de conhecer a diversidade de espécies e de famílias botânicas que ocorrem na área, além da montagem de uma coleção de referência dos espécimes para posterior depósito no herbário a ser estabelecido na Universidade Federal do ABC (UFABC). As técnicas utilizadas são as usuais de herborização através de coletas quinzenais de espécies herbáceas, arbustivas, arbóreas e trepadeiras. A identificação das famílias e das espécies deste material botânico foi baseada em caracteres morfológicos, com a utilização de chaves de identificação e consulta a bibliografias. Um dos resultados é a apresentação de uma lista de 41 espécies presentes nos Parques, a qual seguiu o sistema de classificação APGIII. As famílias botânicas com maior número de espécies são Fabaceae e Asteraceae com, respectivamente, 18,6% e 14% do total da listagem de espécies. Bignoniaceae, Iridaceae, Melastomataceae e Verbenaceae são representadas por duas espécies cada e o restante das 19 famílias por uma espécie cada. A proporção de espécies nativas é maior do que a de exóticas nos dois Parques. Com a determinação da riqueza de espécies e famílias botânicas nos parques, a ação de planos de manejo e a preservação ambiental serão facilitadas, aumentando o número de espécies nativas em detrimento das exóticas, como também a manutenção da variabilidade genética e a implantação de atividades de educação ambiental para os munícipes andreenses.