Sistema de Submissão de Resumos, I Encontro de Iniciação Científica - 2011 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
Síntese e caracterização de Nanoshells para o auxílio na Terapia Fotodinâmica, como fármaco fotossensibilizador, no combate ao câncer
Anderson Orzari Ribeiro, Mainã Portella Garcia

Última alteração: 2011-09-11

Resumo


Introdução: São registrados anualmente 8 milhões de óbitos por câncer. Em resposta a esse dado alarmante, a Terapia fotodinâmica (TFD) surge, e vem sendo desenvolvida nos últimos anos. A TFD baseia-se na ativação de propriedades fotoquímicas de substâncias chamadas fotossensibilizadores que visa a destruição do tecido anormal. Estudos recentes mostram que a ligação do fotossensibilizador na superfície de nanopartículas de e ouro são promissores para a técnica da TFD. As nanopartículas de ouro e nanoshell tem forte afinidade de ligação para tióis, dissulfetos e aminas, dando assim posteriormente um maior direcionamento seletivo de células cancerosas. Outra vertente dos estudos das Nanoshells se deve a propriedade térmica de amarzenar calor, que acarreta na destruição da célula cancerosa pelo aumento da temperatura. A absorção é na região do infravermelho, que é ideal para o tecido humano, assim eliminam-se os efeitos colaterais indesejados da quimioterapia. 1,2

Objetivos: Sintetizar e caracterizar Nanoshells.                                                                                                            

Metodologia: A produção de núcleos de sílica foi realizada em etanol, NH4OH e TEOS (Tetraethyl orthosilicate). Posteriormente, foi adicionado APTES (aminopropyltriethoxy silane), (Stöber).3 Nanopartículas de ouro foram sintetizadas a partir de água, solução de HAuCl4 -1%, K2CO3 (0,2M) e NaBH4 (0,5mg/ml). Produziu a Solução envelhecida a partir de HAuCl4 -1%, K2CO3 (0,2M) e água (3 semanas). O crescimento da nanoshell foi feito a partir da solução de nanopartícula de ouro, adicionou-se 4 ml de núcleos de sílica, centrifugou-se 3 vezes, sendo o volume final de 45ml . Desta solução diferentes proporções (0,7ml, 1,4ml, 2,1ml, 2,8ml e 3,5ml) foram adicionadas em um béquer com 60ml da solução envelhecida e 0,15 ml de formaldeído, sob agitação.

Resultados: A caracterização foi realizada por espectroscopia no ultravioleta-visível (UV-vis).  Foi possível identificar a formação de nanoshells a partir dos espectros onde ocorreu o deslocamento da banda de absorção para regiões de menor energia, antes 520nm (típico de nanopartículas de ouro) para 800nm.                                                     

Conclusão: Comprovou-se síntese das nanoshells através de espectros na região do visível (UV-vis).