Sistema de Submissão de Resumos, I Encontro de Iniciação Científica - 2011 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
CARACTERIZAÇÃO DE FIBRAS LIGNOCELULÓSICAS VISANDO APLICAÇÃO DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS
Marcia Aparecida da Silva Spinacé, Karen de Souza Prado

Última alteração: 2011-09-21

Resumo


As fibras lignocelulósicas apresentam grande potencial para aplicação em compósitos poliméricos devido às suas propriedades de resistência, densidade, não são abrasivas aos equipamentos de processamento e biodegradabilidade. Porém, ao invés da produção direta de insumos para este fim, uma alternativa para minimizar a geração de resíduos sólidos é a utilização de rejeitos agroindustriais pós-consumo.

Objetivos

Os objetivos deste trabalho foi caracterizar fibras lignocelulósicas a fim de verificar a viabilidade da utilização em compósitos poliméricos.

Parte Experimental

Foram caracterizados os resíduos de fibras de indústrias têxteis (RFT), as cascas de arroz (CAZ) e as fibras de coroas de abacaxis (FAB) através de ensaios de umidade (teor e absorção), densidade, morfológicos (MEV) difração de raios-X, análise térmica (TGA), FTIR e determinação do diâmetro médio de cada fibra.

Resultados e Discussão

Através das micoscopias (MEV) observou-se que a superfície mais uniforme é a da RFT, as demais apresentam superfície rugosa e necessitam de tratamento para retirada de impurezas. O RFT é mercerizado antes do processo de fiação, evidenciado no DRX pelo pico deslocado característico da celulose II, enquanto as demais apresentaram picos característicos da celulose I. O RFT também apresentou a menor umidade e a maior densidade. A FAB apresentou caráter altamente higroscópico, devido aos grupos hidroxila, evidenciados no FTIR pela maior frequência entre 1200-1450 cm-1. As fibras de abacaxi e casca de arroz apresentaram bandas características dos constituintes principais das fibras lignocelulósicas: celulose, lignina e hemicelulose, já os resíduos de industria têxtil apresentou bandas características da celulose. O TGA mostrou que FAB, RFT e CAZ apresentam, respectivamente, início da perda de massa em 122, 240 e 193°C e resíduos de 20, 10 e 35 %. A grande quantidade de cinza da CAZ deve-se ao alto teor de sílica. O diâmetro médio da FAB foi de 0,017 ( ±0,010), enquanto o do RFT foi de 0,014 (±0,004). A grande variação nos diâmetros da FAB devem-se à limitação do método de extração da fibra.

Conclusão

A fibra que apresentou melhores características é a fibra de resíduo têxtil, que passou previamente por tratamento superficial durante o processo de fiação. Entretanto, pode-se notar também o potencial das outras fibras estudadas. Trata-se de matérias-primas abundantes e de baixo custo sendo, portanto, economicamente e ecologicamente viáveis para aplicação em compósitos poliméricos.