Sistema de Submissão de Resumos, I Encontro de Iniciação Científica - 2011 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
A inclusão social nos processos de recrutamento e seleção na percepção dos alunos do curso de Administração
Lia Bronzeri Barbosa, Angela Pádua, Carla Roberta Moreira

Última alteração: 2011-10-14

Resumo


Introdução

 A inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho é fruto da legislação relativamente recente. As formas com que a sociedade vem tratando as questões referentes à valorização da diversidade tem se flexibilizado, mas ainda estão longe do ideal. Nos processos de recrutamento e seleção,  é comum verificar-se atitudes preconceituosas apresentadas nas empresas por funcionários de diversos setores. Sendo o tema  emergente, questiona-se: como os alunos vêm percebendo a inclusão nos processos de recrutamento e seleção que observam em suas atividades? São percebidas diferenças quando as empresas realizam o recrutamento e a seleção, considerando a condição do candidato com deficiência? Existem preferências de algumas diferenças ou tipos de deficiência para as empresas? Quais? Por quê? O que justifica a contratação e a não contratação desses profissionais? O futuro gestor entende que o tema afeta sua formação e orientação inclusiva, acarretando no desenvolvimento de uma visão mais crítica, cidadã, ética e responsável?

 Objetivo

O principal objetivo desta pesquisa é investigar a percepção e compreensão dos alunos do curso de administração sobre a problemática que envolve o preconceito e a discriminação nos processos de recrutamento e seleção de pessoas com necessidades especiais.

 Metodologia

 O estudo inicial se deu por meio de levantamento bibliográfico que possibilitou a formulação das questões que resultaram no instrumental da pesquisa, realizada junto aos alunos do Curso de Graduação em Administração, elaboração de um questionário contendo questões objetivas, fechadas e concatenadas de forma a fornecer dados suficientes para substanciar a pesquisa.

 Resultados da Pesquisa

 Em relação aos resultados da pesquisa, tudo indica que no mercado de trabalho, a deficiência é tratada de forma assistencialista, grande parte das corporações preocupam-se exclusivamente com o cumprimento das cotas, não apresentando, portanto estratégias no processo de recrutamento, seleção, habilitação e reabilitação do indivíduo deficiente como ocorre com qualquer cidadão. No entanto, os avanços tecnológicos alinhados à popularização e disseminação da informação tornaram as pessoas mais inclinadas a valorizar a diversidade.

 Conclusão

 Acredita-se que a médio e longo prazo veremos esta mudança de paradigma ocorrer também nas corporações. No final do século passado e início deste muitas corporações aprenderam que a valorização da diversidade pode gerar vantagem competitiva, porém ainda temos que percorrer um longo caminho, percebe-se que os atuais gestores ainda não dispõem de conhecimentos específicos que contribuam para o processo de recrutamento, seleção e contratação de pessoas com necessidades especiais.