Sistema de Submissão de Resumos, I Encontro de Iniciação Científica - 2011 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
PATRIMÔNIO CULTURAL: VISÕES DAS PREFEITURAS DO GRANDE ABC SOBRE PRESERVAÇÃO
Silvia Helena Passarelli, Saiuri Anzei

Última alteração: 2011-09-08

Resumo


Ao longo das últimas décadas temos observado um fortalecimento dos ideais de preservação do patrimônio cultural no mundo ocidental onde assistimos ações em diversos níveis de governo. Neste sentido, a UNESCO, tem desenvolvido ações de preservação do patrimônio mundial desde a década de 1970, e órgãos governamentais no Brasil foram criados e/ou aprimorados desde então. Este estímulo ao debate sobre o patrimônio cultural ampliou a abrangência conceitual do termo e em diversas cartas da UNESCO observa-se a evolução do conceito de patrimônio cultural que incorpora edifícios, monumentos simbólicos, como também as práticas sociais de uma comunidade e a interação entre estas práticas e a paisagem urbana. Na região do Grande ABC o debate sobre este tema foi intensificado nos anos 80 e desde então houve a organização de centros de preservação da memória (museus, centros de memórias), movimentos sociais pela preservação, como o Grupo Independente de Pesquisadores da Memória do Grande ABC e a institucionalização da preservação do patrimônio cultural por meio da criação de conselhos de preservação do patrimônio. A pesquisa se propôs a analisar os instrumentos legais e institucionais adotados pelas prefeituras da região do Grande ABC na preservação do patrimônio cultural e ambiental e suas relações com as demais políticas de desenvolvimento local.

Para tanto, desenvolveu, inicialmente, leituras bibliográficas sobre o tema, buscando uma melhor compreensão sobre o tema. Ao mesmo tempo, foram desenvolvidas leituras e análise sobre o arcabouço legal das prefeituras, buscando, nas leis orgânicas, leis ordinárias e no Plano Diretor, identificar os mecanismos legais para a preservação dos bens adotados em cada Prefeitura. Entrevistas com os agentes públicos da área de memória foram muito importante para compreensão dos instrumentos legais e para a identificação de bens protegidos em cada uma das sete cidades do ABC. Finalmente, uma pesquisa de opinião foi realizada entre participantes dos últimos Congressos de História da Região do ABC e na comunidade de alunos da Engenharia Ambiental e Urbana da UFABC questionando sobre a qualidade das políticas locais de preservação do patrimônio e quais bens na região deveriam ser preservados.

O resultado da pesquisa fortaleceu o entendimento sobre o tema. Pôs à mostra, também, a necessidade de maior atuação das políticas locais na área da preservação do patrimônio, atendendo de forma mais concreta as proposições das leis orgânicas locais e, principalmente, os anseios da população na preservação da memória e da identidade local.